cooperação em ciência

Enquanto pesquisador da Diretoria de Desenvolvimento Científico do Museu do Amanhã, Davi Bonela participa de um conjunto variado de atividades e projetos de divulgação científica, desenvolvimento de conteúdo e ainda de cooperação entre organizações científicas.

Museu do Amanhã

O Museu do Amanhã é um museu de ciências localizado no Rio de Janeiro sobre a época de grandes mudanças em que vivemos e os diferentes caminhos que se abrem para o futuro.

Orientado pelos valores éticos da Sustentabilidade e da Convivência, essenciais para a civilização, o Museu busca ampliar o conhecimento do público e transformar o seu modo de pensar e agir. A importância de se ter um Museu do Amanhã hoje se explica pelo fato de vivermos uma nova época, em que o conjunto da atividade humana tem uma força de alcance planetário, de modo que as próximas décadas serão construídas a partir das escolhas que estamos fazendo agora, enquanto pessoas, cidadãos, membros da espécie humana.

O Museu do Amanhã acompanha seis grandes tendências globais: mudanças climáticas, crescimento da população e da longevidade; mais integração e diferenciação; avanço da tecnologia; alteração da biodiversidade; e expansão do conhecimento.

Entre as atribuições do pesquisador estão produzir, publicar e editar relatórios e informações de importância para atualização da exposição principal do museu; acompanhar na literatura científica temas relacionados à sustentabilidade e convivência para elaboração de novas exposições; proposições de palestras, seminários, publicações e outras atividades de divulgação científica. Também se incluem entre suas atividades elaborar matérias e artigos; produzir atividades de divulgação científica; atender pesquisadores interessados em informações disponíveis no museu ou em participar de suas atividades. Todas elas têm em comum um trabalho permanente de cooperação.

Parceria Museu do Amanhã e ONU para promoção dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Dentro de suas atribuições e seguindo sua experiência profissional, Davi reconheceu nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, uma agenda capaz de nortear as atividades propostas pelo Museu, combinando ciência e desenvolvimento. Isto faz com que essas atividades – entre as quais estão palestras, seminários e artigos, por exemplo – façam com que o Museu do Amanhã participe e engaje o seu público num diálogo global sobre os desafios para as próximas décadas.

Desse escolha resultou a abertura de uma extensa frente de realizações no museu, em que se destacam a formalização de parcerias com diversas agências da ONU – por exemplo, Fundo de População das Nações Unidas, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Programa das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, ONU-Habitat, ONU-Mulheres, Centro Rio+, entre outros. Davi tem uma participação ativa na formalização dessas parcerias e na execução de projetos derivados delas. No momento, trabalha no desenho de uma experiência sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, bem como na realização do Fórum Global de Inovação e Tecnologia para a Sustentabilidade.

Se a Agenda 2030 é uma agenda em comum do museu com outras organizações, alguns planos estruturantes criados pela Diretoria de Desenvolvimento Científico dos quais Davi participa auxiliam a articulação entre as diferentes partes do Museu e da própria gerência.

Parcerias com as principais organizações científicas brasileiras para divulgação científica e progresso da ciência

Além de trabalhar em parceria com agências da ONU, Davi também está participando da formalização de parcerias importantes organizações científicas brasileiras, como, por exemplo, a Academia Brasileira de Ciências e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Essas parcerias possibilitam a realização de uma série de palestras de divulgação científica – chamadas de Ciência às Seis e Meia – e grandes seminário – com destaque para a Reunião Magna da Academia de Ciências que acontece todos os anos no museu desde a sua inauguração. No caso dessas parcerias, Davi apóia o seu planejamento à médio e longo prazo promovendo reuniões periódicas com representantes dessas organizações.

Adicionalmente, por duas vez participou da produção das propostas para o Museu do Amanhã concorrer ao Newton Fund Institutional Skills do British Council, conquistado em 2017, para realização de um programa de capacitação em parceria com o Science Museum, de Londres, com o objetivo de criar a narrativa de uma exposição itinerante sobre alimentação que seja acompanhada com atividades de impacto social nas regiões onde for exibida.

Planos e parceria com British Council para um olhar inovador sobre a educação

Davi Bonela apóia o estabelecimento de uma visão estratégica de educação no Museu do Amanhã. Principalmente, por dois caminhos. A primeira é a colaboração nos seus planos de Divulgação Científica, Curatorial e Museológico, no qual, aproveitando a divisão do museu em Laboratório, Observatório e Educação, pautou-as respectivamente pelos conceitos de hands on, minds on e hearts on de Jorge Wagensberg. Essa é uma ação importante para que a extensa programação do museu seja sempre organizada por princípios – ou diretrizes – integradas que auxiliem uma experiência de aprendizado para seus visitantes.

De diferentes formas, também apoia a produção, manutenção ou atualização dos planos de Documentação e de Sustentabilidade do Museu, que, por sua vez, se articulam outras áreas e empresas.

O segundo caminho é a realização de projetos em parceria com o British Council – o Conselho Britânico –  para a promoção de um conjunto distinto de atividades. Em destaque, o projeto Alimentação para o Amanhã, que possibilitou a capacitação de dezenas de pessoas incluindo funcionários do museu, proprietários de restaurantes e moradores da região portuária onde o museu está situado entre 2017 e 2018. O projeto incluiu intercâmbios entre os colaboradores do Museu do Amanhã e do Science Museum Group, da Inglaterra, para troca de expertises sobre o desenvolvimento de exposições itinerantes com o tema da Alimentação. Também incluiu oficinas de capacitação com moradores e proprietários de restaurantes a Região Portuária do Rio de Janeiro sobre aproveitamento integral e redução do desperdício de alimentos. Todos os detalhes podem ser vistos no site Alimentação para o Amanhã.

Davi está participando da concepção e da realização de um programa de formação de professores em parceria com o British Council que será oferecido aos professores do ensino fundamental. Chamado de Inspira Ciência, o objetivo é o a capacitação desses professores em ciências, bem como no incentivo a construção de planos de aula e novas formas de ensino-aprendizagem que conectem o currículo escolas – em outras palavras, a sala de aula – e o conteúdo e as experiências do museus, estimulando um ensino de ciências vibrante que desperte o interesse de crianças e adolescentes em ciências, inspirando vocações. O programa acontece no segundo semestre de 2018 e conta com a participação de especialistas em diversos campos do conhecimento e professores vencedores do Prêmio Shell de Educação Científica.

Outros projetos de divulgação científica e educação em ciências em espaços não formais que Davi participa fazem parte da programação do Museu do Amanhã e incluem, atividades de observação do céu com telescópios, em parceria com o Clube de Astronomia do Rio de Janeiro, e oficinas de circuitos elétricos e mecânica em papel para crianças em parceria com o Laboratório de Didática em Física do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro.